Publicado por: Fabiano Medeiros | 1 outubro, 2009

Álbum de minha bisavó Ambrosina da Costa Medeiros – Capa

Ambrosina da Costa Medeiros é minha bisavó por parte de pai. O álbum que passarei a publicar em várias postagens a partir desta pertencia a ela e foi até hoje bem preservado por minha tia Vanda Medeiros Melo, neta dela, irmã de meu pai.

A publicação dessas postagens com fotos e explicações sobre o álbum revestem-se de um senso profundo de gratidão não só pela preservação cuidadosa do álbum, mas pelo fato de tia Vanda o haver emprestado a mim por volta de 2002 para que eu pudesse digitalizar, preservar e disseminar suas fotos. Tia Vanda faleceu este ano, e lhe faço dessas postagens uma homenagem póstuma!

Ano passado, juntei o álbum a várias cópias de outras fotos de seu interesse, além de várias outas fotos avulsas originais que ela também me havia confiado, e devolvi tudo com um bilhete de imensa gratidão. Fico feliz que o tenha feito antes de seu falecimento. Fatos como esses me assustam e me lembram com ainda mais clareza da brevidade da vida, do peso de assumirmos a responsabilidade pelo que somos e fazemos aqui e agora e do horror da procrastinação, que nos assola a todos!

Como o álbum chegou às mãos da tia Vanda

O referido álbum foi passado às mãos do tio de meu pai, Celico Medeiros, casado com a tia Maruca Melo. Por ocasião do falecimento desses, o álbum ficou em poder dos filhos. Por ser tia Vanda casada também com um Mello, da mesma família, isso explica por que o álbum foi parar justamente nas mãos dela dentre todos os outros irmãos de meu pai.

Quando Nelson Medeiros Franke, meu primo, foi ao Herval há quase dois anos, conseguiu identificar algumas das pessoas retratadas neste álbum e, com a ajuda do seu Aldemiro Teixeira Medeiros, outro parente nosso, descobriu outro álbum de Ambrosina, semelhante a este, mas em terrível estado de deterioração. Muitas outras fotos constavam desse outro álbum, sendo algumas delas identificadas, digitalizadas, preservadas e publicadas por Nelson em seu fantástico site Medeiros Franke. Esse referido álbum, de cor azul, será tratado em outra série de postagens.

Depois da última postagem, postarei também um índice para auxiliar o leitor e consulente a navegar por este maravilhoso álbum de Ambrosina.

Ao compilar este álbum virtual, alguns princípios nortearam meu trabalho:

  • Disponibilizar as imagens de modo que mostrassem fielmente os originais, com todas as marcas do tempo. Como se o internauta estivesse ou pudesse estar com o álbum em mãos.
  • Procurar indicar características do álbum, das fotos, do material empregado ou da montagem que escapam a um consulente via Internet. O objetivo é conferir o máximo possível de prazer real a quem percorrer as páginas do álbum. (Espero que você possa até sentir o cheiro maravilhoso de um álbum de 1850 surpreendentemente bem preservado!)
  • Mostrar a seqüência exata das páginas e das fotos, ainda que as fotos, como estão hoje, não sigam necessariamente a ordem original do álbum ou a ordem que tinha quando foi passado às mãos de minha tia paterna Vanda Medeiros Mello.
    Capa do álbum

    Capa (11 x 15 cm), com lupa e foto de Maria, Duquesa de Edimburgo.

    A lupa encaixa-se numa reentrância com seu formato, que por sua vez encontra-se no interior de um retângulo, outra reentrância.

    A parte da fivela que aparece é na verdade do dorso do álbum. O fecho da parte frontal quebrou-se com o manuseio ou com o mau uso ao longo dos anos.

    ambrosina_capa_lupa

    Lupa (8,2 cm de comprimento; 4,5 cm de diâmetro), aparentemente em bronze ou cobre.

    ambrosina_capa_maria

    A inscrição diz:

    MARIA

    Duqueza d´Edinburgo

    Gran-Duqueza da [ilegível]

    Pela baixa gramatura e opacidade do papel, pode tratar-se de um recorte feito por gosto ou admiração de minha bisavó, por isso inserido na abertura do álbum.

    Podia ser também uma gravura que acompanhava o álbum como forma de mostrar a utilidade da ranhura sob a lupa.

    Se foi esse o caso, Ambrosina a ninguém elegeu dentre os fotografados de seu álbum. Tal atitude pode revelar o apreço que igualmente votava a todos aqueles a quem quis preservar. Ou simplesmente que julgava importante manter a gravura original junto ao álbum. Ambas, atitudes louváveis. Senão, pode ser simplesmente que um espírito de procrastinação fez com que deixasse para depois escolher o favorito dentre os retratados. Isso nunca veio acontecer.


    Deixe uma resposta

    Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

    Logotipo do WordPress.com

    Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

    Imagem do Twitter

    Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

    Foto do Facebook

    Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

    Foto do Google+

    Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

    Conectando a %s

    Categorias

    %d blogueiros gostam disto: